Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Pesquisa Distrital de Segurança Pública – Presencial

Para que se construa uma política eficiente e qualificada de segurança pública, o cidadão precisa ser ouvido. Por isso, a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social vem realiza a Pesquisa Distrital de Segurança Pública.

 

O que é?

 

Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Consiste na aplicação de um questionário para entender como é a relação do cidadão com os serviços e profissionais de segurança pública do Distrito Federal. A pesquisa também tem o objetivo de avaliar qual é a percepção que existe sobre o tema, saber se as vítimas de crimes costumam registrá-los nas delegacias da Polícia Civil ou acionam os serviços de emergência (telefones 190 e 193).

 

O levantamento ainda serve para mapear diversos outros fatores que não têm a ver com segurança pública, mas que impactam consideravelmente para a sensação de insegurança, ou seja, o medo das pessoas em determinadas situações. Exemplo disso é a avaliação dos moradores em relação às condições urbanas, entre elas, recolhimento de lixo e iluminação pública.

 

Quem aplica a pesquisa?

 

A SSPDF realiza anualmente licitação para a contratação de empresa especializada em pesquisa social. Esta empresa é responsável pela coleta de dados, entrevistando aproximadamente 20.000 domicílios em todo o Distrito Federal. Os entrevistadores são devidamente identificados com camisetas e crachás e andam com um tablet, onde as respostas do questionário são registradas.

 

Como é feita a escolha da residência?

 

Cerca de 20 mil residências são visitadas a cada ano. A escolha dos locais segue uma amostra de domicílio feita pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) de acordo com um cadastro de endereço construído a partir do cruzamento de endereços da CEB e da CAESB. Assim que o entrevistador chega à residência, uma pessoa é sorteada na hora para responder o questionário.

 

Quando a pesquisa é realizada?

 

Não existe um período exato de cada ano para a realização da pesquisa. Geralmente, ela dura três meses para que dê tempo de visitar todas as residências. Durante o período anual de aplicação, os entrevistadores saem de porta em porta em dias úteis e finais de semana, entre 8 e 20h.

 

Quais são as perguntas?

 

Primeiramente, é importante explicar que dados pessoais, como documentos de identidade e CPF, não devem ser repassados a ninguém. Da mesma forma, não é necessário que o entrevistador entre em sua residência. A pesquisa pode ser feita do lado de fora dela. As perguntas demoram, em média, 40 minutos. Seguem abaixo alguns exemplos de perguntas executadas durante a entrevista>

 

  • Nos últimos 12 meses, o(a) senhor(a) foi vítima de roubo?
  • Como o(a) senhor(a) se sente ao andar nas ruas do bairro onde reside durante a noite? Muito inseguro, inseguro, seguro ou muito seguro?
  • Nos últimos 12 meses, o(a) senhor(a) presenciou pessoas sendo vítimas de agressão em sua vizinhança?
  • De uma forma geral, quanto o(a) senhor(a) confia na Polícia Militar? Confia muito, confia um pouco ou não confia.

 

Sou obrigado(a) a participar?

 

De forma alguma. Você decide se quer ou não responder o questionário. Mas, sugerimos que participe, pois é com as suas informações que os órgãos de segurança pública poderão melhorar ainda mais as ações contra a criminalidade e a sensação de insegurança.

 

Como posso tirar dúvidas sobre a pesquisa?

 

A Subsecretaria de Gestão da Informação (SGI) é a área dentro da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social responsável pela Pesquisa Distrital de Segurança. Para esclarecer qualquer dúvida, basta ligar para o telefone (61) 3441-8667, de 9h às 12h e de 14h às 18h, em dias úteis.