Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/12/19 às 16h07 - Atualizado em 2/01/20 às 17h08

🥖Panificadora volta a funcionar na Papuda

COMPARTILHAR
Adriana Machado, da Ascom – SSP/DF

 

A panificadora da Penitenciária do Distrito Federal I (PDF I) foi reativada nesta terça-feira (17). Além dos vinte sentenciados, que serão contratados por meio da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap), a cada três meses, outros vinte internos farão parte da equipe e serão capacitados com técnicas de panificação. Os participantes também terão a remissão de um dia de pena, a cada três de trabalho.

 

A ação foi possível por meio de um Acordo de Cooperação Técnica firmado entre as secretarias de Segurança Pública (SSP/DF) e de Justiça e Cidadania (Sejus).  Desta forma, o termo viabilizou parceria com a iniciativa privada, por meio da Funap, que permite a utilização de espaços ociosos das unidades prisionais, bem como a qualificação dos internos.

 

Outro espaço de produção será inaugurado, no começo de 2020, no Centro de Internamento e Reeducação (CIR). No local funcionarão panificadoras com capacidade de produção diária de cerca de 80 mil pães.

 

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, esteve presente na cerimônia e falou da importância das oficinas no processo de ressocialização. “Esta é mais uma oportunidade de mudança de vida para as pessoas que estão presas. Estou feliz pela quantidade de empregos gerados, pela qualificação, mas, principalmente, por esta reinauguração simbolizar que esta é a linha que queremos atuar. Quando assumimos o governo, tinham 1.007 trabalhadores presos empregados, atualmente temos mais de 1.500 e queremos chegar ao final de 2020 com três mil presos empregados”.

 

Para o secretário-executivo de Segurança Pública, Alessandro Moretti, a inauguração do espaço foi possível pela confiança dada ao secretário de segurança, Anderson Torres, e sua equipe. “Esta reinauguração é possível por conta da confiança dada pelo governador à Secretaria de Segurança e à Sejus que, de forma conjunta e com apoio da iniciativa privada, estão criando uma oportunidade de ressocializar por meio da profissionalização”.

 

Moretti fala, ainda, da importância da ação na redução da criminalidade. “Além de reduzir a criminalidade, como estamos fazendo a cada mês, precisamos nos preocupar com quem retornará ao convívio social e proporcionar uma ressocialização inteligente e eficaz para diminuir a taxa de pessoas que voltam a delinquir. Atualmente, a cada dez pessoas que saem do sistema prisional, pelo menos sete voltam a cometer crimes”, explicou o secretário- executivo.

 

De acordo com a diretora executiva da Funap, Deuselita Martins, todo o custo de produção será das empresas privadas. “Todo o custo de produção e comercialização será das empresas privadas, que serão também as responsáveis pela capacitação dos internos, como uma contrapartida social à capacitação de reeducandos a cada três meses. Desta forma, irão capacitar cem pessoas por ano”.

Confira as fotos:
 
Edição: Lanna Morais
Foto: Maurício Araújo